Os sons da buzina das trotinetes foram atualizados
17 de novembro de 2022
As situações mais complicadas que pode enfrentar uma trotinete agora têm sons intuitivamente compreensíveis. Os desenvolvedores decidiram fazer com que os sons das trotinetes façam parte da textura sonora da cidade, que não criem barulho adicional, mas que informem o usuário de que está a entrar numa zona de restrição de velocidade.
Os desenvolvedores da Whoosh chegaram à conclusão que os sons da trotinete podem tornar a condução mais segura e previsível. Mais de 20 situações que pode enfrentar uma pessoa ao conduzir uma trotinete são descritas por meio de uns sons simples e compreensíveis. Por exemplo, a scooter emite um som ao entrar na zona de redução automática de velocidade ou antes de parar ao chegar a uma área interdita à circulação, e no caso de roubo vai emitir sons desagradáveis que ajudarão o ladrão a perceber que roubar não é bom.

Cada trotinete é provista de um módulo IoT (Iot vem de "Internet os Things", a internet das coisas) próprio, que permite implementar, de forma remota, uma nova biblioteca de sons em todas as 88 000 trotinetes do serviço.

A equipa técnica analisou a interação entre a pessoa e a trotinete e determinou 22 situações em que um ou outro estado da scooter deve ter um som próprio. Agora é mais fácil localizar a trotinete no estacionamento, pois emite um som alegre para cumprimentar o seu usuário. A trotinete avisará sobre o início e a finalização da viagem, sobre a entrada e a saída da zona de restrição de velocidade, notificará sobre a parada ao entrar na zona interdita à circulação.


No curso da pesquisa, os especialistas técnicos da Whoosh descobriram que as notificações faladas sobre o estado da trotinete são incómodas tanto para o usuário, como para as pessoas que estão ao seu redor, pois não se distinguem do barulho da cidade e em situações de perigo podem ser interpretadas de forma errada. É incómodo receber mensagens na aplicação do serviço, porque para as ler é preciso parar e descer da trotinete. Um som curto e intuitivamente compreensível é percebido pela pessoa como "a voz do serviço" e será interpretado de forma correta.

A identidade sonora das trotinetes Whoosh foi desenvolvida pela agência de áudio branding SoundDesigner.PRO. Os novos sinais sonoros das trotinetes não são só informativos, mas também carregados de emoções: são engraçados, divertidos e intuitivamente compreensíveis. O serviço deixou de usar as notificações robotizadas que costumam acompanhar os dispositivos eletrónicos para dar às suas scooters sons mais vivos e com mais sentido.
O dispositivo instalado na trotinete é um radiador piezoelétrico que também é chamado buzzer. A largura de banda do buzzer é muito limitada, por isso o dispositivo só pode emitir uns poucos sons bastante simples. Para dar mais emoção a estes sons, a equipa de trabalho realizou uma série de pesquisas e a agência de áudio branding criou uns temas musicais técnicas especiais que demarcam um ou outro estado da trotinete ou da viagem. Resulta que é possível ampliar o espectro de som graças às combinações de impulsos sonoros curtos . A fim de melhorar a funcionalidade do dispositivo sonoro, a equipa técnica aperfeiçoou o código do programa sonoro, o qual permitiu concretizar o conceito de som.

O radiador piezoelétrico é um dispositivo de poupança de energia que praticamente não usa a bateria da trotinete, e portanto ajuda a fazer a trotinete não somente mais funcional, mas também mais ecológica.

As trotinetes Whoosh funcionam como um meio de transporte, por isso têm de ser cómodas e fáceis de usar, igual que o transporte público. O novo sistema de avisos ajudará o usuário a receber mensagens da trotinete sobre o estado do dispositivo ou sobre a viagem sem se distrair da condução e sem interromper a viagem.
Ao continuar a utilizar o nosso website, o utilizador consente o processamento de cookies. Recolhemos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de utilizador.
OK